Real custo da refrigeração industrial

A refrigeração industrial cumpre um papel fundamental em determinados setores da economia.

Seus equipamentos e sistemas são utilizados tanto na produção quanto na conservação dos mais diferentes produtos.

Com toda certeza você já sabe disso.

Mas, você sabe dizer qual o real custo de contar com esses equipamentos?

O real custo dos sistemas de refrigeração

Todo equipamento, maquinário ou ferramenta que adquirimos possui um custo que vai além do relacionado à aquisição.

Um carro, por exemplo, após a compra, possui o custo das parcelas, combustível, manutenção, impostos, taxas etc.

Mesmo uma ferramenta mais rústica, como uma pá, terá custos de manutenção necessária após o desgaste do uso.

O que irá variar são quais custos serão esses, sua periodicidade e o valor.

No caso dos sistemas de refrigeração, a maior parte do custo se inicia para as empresas após a compra e a instalação.

Manutenções preventivas e corretivas estão entre eles.

Porém, a maior fatia percentual desse custo está relacionada ao consumo de energia desses sistemas.

Sim, a refrigeração industrial é um das maiores consumidoras de energia nas empresas.

E essa realidade não está restrita apenas às plantas produtivas, mas também alcança estabelecimentos comerciais.

Economia de energia = redução de custos

Hoje é estimado que os gastos com energia elétrica de uma empresa chegam a corresponder quase meta dos custos de produção.

Aqueles que conseguem adotar medidas que visam à economia de energia acabam, assim, saindo na frente.

Em um mercado altamente competitivo toda vantagem é importante para a sobrevivência das empresas.

No artigo anterior de nosso blog destacamos como a instabilidade de temperatura aumenta o consumo de energia.

Mas, mais do que adotar boas práticas que não permitam esse aumento, é preciso pensar em como reduzir o consumo.

E, para isso, não há outra saída: é preciso investir em soluções e inovações de alta tecnologia.

É notória a preocupação no desenvolvimento de sistemas de refrigeração industrial que permitam economizar energia.

Essa, na verdade, é quase uma obsessão da indústria.

Para aqueles que estão em fase de projeto ainda é recomendado considerar as opções disponíveis com calma.

Um equipamento mais novo pode apresentar um custo maior de aquisição inicial.

Contudo, a médio e longo prazo, a economia de energia provocada e diminuição do custo de operação compensam, e muito, a diferença.

E se a sua empresa já conta com maquinário há tempos em funcionamento a dica é: procure informações e faça as contas.

Às vezes seu custo com energia tem sido tão elevado, que o investimento na atualização do sistema fará uma grande diferença.

Investindo em tecnologia e boas práticas a refrigeração industrial joga a favor dos resultados de sua empresa.

Gostou deste artigo? Continue acompanhando nosso blog e saiba mais sobre os sistemas de refrigeração para seu negócio.

Até a próxima!

Postado por: Frigocenter | www.frigocenter.com.br

Estudo revela que as empresas não estão preparadas para uma nova economia de energia

Via: ACR

frigocenter-estudo-revela-que-as-empresas-nao-estao-preparadas-para-uma-nova-economia-de-energia

A Schneider Electric revelou em um estudo que a maioria das organizações se sente preparada para um futuro descentralizado, descarbonizado e digitalizado, mas muitos não estão tomando as medidas necessárias para integrar e promover / promover seus programas de energia e sustentabilidade.

Através de uma declaração, a empresa explicou que essa falsa sensação de segurança pode ser atribuída à descoberta de que a maioria das empresas ainda adota abordagens bastante convencionais para gerenciamento de energia e ação climática. E as lacunas na inovação são ainda mais complicadas pela coordenação limitada entre os departamentos de compras, operações e sustentabilidade, bem como a coleta e troca de dados ineficientes.

81% das empresas fizeram melhorias ou planos de eficiência para fazê-lo, mas 30% ou menos estão considerando novas oportunidades de energia, como microgrids e resposta à demanda.

De acordo com a pesquisa de quase grandes empresas 240 (US $ 100 milhões em receita ou mais) de todo o mundo, a porcentagem 85 de entrevistados disse que sua empresa agirá nos próximos três anos para manter seus planos competitivos de redução de carbono com os líderes da indústria. Mas os projetos que começaram ou estão em desenvolvimento estão fortemente inclinados à conservação de energia, água e resíduos. Fora das energias renováveis, algumas das organizações representadas estão implementando estratégias e tecnologias mais avançadas para gerenciar energia e emissões.

O gerenciamento de dados foi citado como outro obstáculo para o gerenciamento integrado de energia e carbono, e 45% dos entrevistados disseram que os dados da organização são altamente descentralizados e são gerenciados a nível local ou regional.
As principais conclusões incluem:

– Oitenta e um por cento dos entrevistados fizeram atualizações de eficiência energética ou planejam fazê-lo nos próximos dois anos; 75% está trabalhando para reduzir o consumo e o desperdício de água.

– Cinquenta e um por cento completaram ou planejam seguir projetos de energia renovável.

– Somente o 30% implementou ou está planejando ativamente o uso de armazenamento de energia, microfones ou calor e energia combinados, ou alguma combinação dessas tecnologias.

– Somente 23% tem estratégias de resposta para exigir ou planeja fazê-lo no curto prazo.

“Estamos no meio de uma grande interrupção na forma como a energia é consumida e produzida”, disse Jean-Pascal Tricoire, presidente e CEO da Schneider Electric. “A abordagem quase universal da conservação é positiva, mas ser um consumidor inteligente é apenas parte do que é preciso para sobreviver e prosperar”. As empresas devem se preparar para participar ativamente da energia, colocar as peças no lugar. para produzir energia e interagir com a rede, serviços públicos, colegas e outros novos participantes, aqueles que não atuam agora serão deixados para trás “.

Uma barreira primária ao progresso pode ser o alinhamento interno. Sessenta e um por cento dos entrevistados disseram que as decisões de energia e sustentabilidade de sua organização não estão bem coordenadas entre as equipes e departamentos relevantes, especialmente para bens de consumo e empresas industriais. Além disso, o mesmo número de entrevistados disse que a falta de colaboração é um desafio.

O gerenciamento de dados foi citado como outro obstáculo para o gerenciamento integrado de energia e carbono, e 45% dos entrevistados disseram que os dados da organização são altamente descentralizados e são gerenciados a nível local ou regional. E das pessoas que identificaram “ferramentas / métricas insuficientes para troca de dados e avaliação de projetos” como um desafio para trabalhar em todos os departamentos, o 65% gerencia dados a nível local, regional ou nacional, não global.

O líder de serviços gerenciados na nuvem iomart é um exemplo de uma empresa que está adotando uma abordagem integrada e orientada a dados. Ele trabalha para coordenar eficiência energética e gerenciamento ambiental em toda a rede de centros de dados que possui e opera no Reino Unido.

“Ter dados e inteligência acionável é essencial”, disse Neil Johnston, diretor de operações técnicas do grupo para iomart. “Mas o que acontece uma vez que a informação está disponível é igualmente importante: nossas equipes de compras, energia e sustentabilidade comparam dados e desenvolvem estratégias compartilhadas para gerenciar consumo e emissões e reduzir custos”. Essa colaboração gerou economias significativas para a empresa. negócios, e nos ajudou a obter a certificação ISO 50001 e cumprir os requisitos de Compromisso de Redução de Carbono “.

Pesquisas também apontam para o progresso em diversas áreas

Mais de 50% das empresas representadas iniciaram projetos de energia renovável ou planejam fazê-lo nos próximos dois anos, com assistência médica (64%) e bens de consumo (58%) liderando o caminho. Além disso, o C-suite e as funções corporativas têm um alto grau de participação nesses e em outros programas voltados para a sustentabilidade. 74% disse que membros do C-Suite avaliam ou aprovam iniciativas de energia renovável e sustentabilidade, por exemplo, indicando que este trabalho é considerado uma prioridade estratégica.

E enquanto o retorno do investimento (ROI) é a referência óbvia para iniciativas de energia e sustentabilidade, as empresas estão começando a ter uma visão mais ampla e mais completa dos investimentos. Por exemplo, mais da metade dos entrevistados disse que o impacto ambiental é levado em consideração no processo de avaliação. O risco organizacional (39%)) é outra consideração importante.

O estudo foi conduzido pela GreenBiz Research para identificar como as empresas desenvolvem estratégias de energia e meio ambiente, coletam e compartilham dados e coordenam entre departamentos, uma prática conhecida como Gerenciamento de Energia Ativa. Os participantes incluíram profissionais responsáveis ​​pela gestão e sustentabilidade da energia, desde membros da C-suite e do conselho de administração até contribuintes individuais. As empresas pesquisadas representam segmentos primários 11, que incluem bens de consumo, energia / serviços públicos, finanças, indústria, saúde e tecnologia. Os resultados de qualquer amostra estão sujeitos a variação.

O relatório completo pode ser visto fazendo clique aqui

Fonte: ACR | www.pt.acrlatinoamerica.com
Postado por: Frigocenter |  www.frigocenter.com.br

Manutenção e limpeza do sistema de refrigeração industrial

Para manter um sistema de refrigeração industrial em bom funcionamento em longo prazo, é fundamental realizar a manutenção preventiva.

Ao verificar-se previamente um problema nos componentes, as medidas corretivas podem ser aplicadas de forma ágil.

Além de evitar paradas não programadas, capazes de ocasionar severos prejuízos, a ação garante o melhor desempenho aos equipamentos.

Executando um plano de manutenção preventiva em sistemas de refrigeração industrial 

Um plano de manutenção preventiva eficaz aos equipamentos de refrigeração bem executado atende ao menos a 3 objetivos, descritos abaixo:

  • Garante-se a vida útil dos equipamentos, o que evita investimentos precoces para reparos em caso de danos e quebras.
  • Evita-se o desperdício de produtos, ocasionado por paradas não programadas que afetam sua estabilidade.
  • Eleva-se a eficiência do sistema de refrigeração industrial, de modo a resultar em economia de energia.

A consequência direta da junção desses fatores é a redução dos custos de produção, uma medida inteligente ligada ao desempenho da empresa.

Abaixo, listamos 3 ações a serem colocadas em prática para uma manutenção preventiva assertiva.

  1. Inspeção e acompanhamento 

Realizar a inspeção visual de sistemas de refrigeração industrial, à primeira instância, parece uma tarefa simples, porém fundamental.

Através dela é possível verificar anomalia do sistema, como:

  • Vazamentos;
  • Falta de isolamento em linhas;
  • Quebras;
  • Danos físicos;
  • Entre outros.

Outra questão importante é acompanhar o desempenho dos equipamentos de forma minuciosa.

Hoje, o monitoramento remoto é um grande aliado nesse sentido.Veja mais aqui.

  1. Limpeza do sistema de refrigeração industrial

Realizada externa e internamente, é fator fundamental para o bom desempenho do equipamento e traz benefícios, como economia de energia.

Filtros sujos, por exemplo, geram perdas de pressão não desejadas, e isso exige maior trabalho do ventilador.

No caso dos condensadores, sejam eles à água ou a ar, a sujeira faz com que o equipamento trabalhe com pressões mais altas, perdendo eficiência e sobrecarregando os motores do compressor.

Vale ressaltar que, além da economia de energia, a limpeza adequada evita quebras e reduz a necessidade de manutenções corretivas.

  1. Calibrações e testes 

Os sistemas atuais possuem muita automação, o que ajuda na prevenção e detecção de falhas, porém é importante que os sensores sejam calibrados periodicamente, garantindo que estão medindo os valores corretamente.

Periodicamente precisamos conferir os principais pontos, como:

  • Verificara carga do fluido refrigerante e do óleo;
  • Calibrar a proteção de sobrecarga;
  • Verificar e ajustar superaquecimento e sub-resfriamento;
  • Calibração dos sensores de pressão e temperatura;
  • Verificar se o degelo ocorre corretamente.

É, também, altamente recomendada a realização de testes periódicos em todas as proteções elétricas e mecânicas.

Uma parada programada para realizar a manutenção preventiva garante maior economia do que um reparo de equipamento danificado.

Siga esses pontos para um plano de manutenção preventiva eficaz para obter um melhor desempenho de seus equipamentos de refrigeração.

Gostou deste artigo? Continue nos acompanhando para saber mais sobre as soluções dos sistemas de refrigeração industrial.

Até a próxima!

Como economizar 30% de energia com a refrigeração

Os sistemas de refrigeração industrial, cada vez mais presentes, são desenvolvidos com alta tecnologia, o que contribui para economizar energia.

Além de selecionar as opções correta às suas necessidades, com algumas atitudes, é possível aumentar esse impacto, para chegar a uma redução no consumo do recurso de até 30%.

4 atitudes que levam à economia de energia

Apoiada pelo crescimento da economia no pré-crise, a comercialização de sistemas de refrigeração industrial obteve forte crescimento.

O cenário favorável levou ao investimento dos empresários, que hoje se veem diante de um dilema: encontrar formas de reduzir o consumo de energia.

Além do uso de equipamentos modernos, que contam com soluções integradas que contribuem com essa economia, algumas atitudes podem ser tomadas. Confira abaixo.

  1. Atente-se ao local de instalação 

As unidades de refrigeração industrial ou condensadores devem ser instalados em locais abertos e com boa circulação de ar, de modo a fornecer um bom fluxo de ar aos condensadores.

  1. Fique de olho na temperatura ajustada

A cada grau que se eleve a temperatura de uma câmara, você aumenta a eficiência do sistema em cerca de 2%. Trabalhe com a câmara sempre na temperatura ideal, nunca abaixo.

  1. Faça degelos periodicamente 

Para evitar o acúmulo de gelo, é importante realizar o degelo dos equipamentos conforme o indicado pelo fabricante.

Com essa medida, você evitará danos ao evaporador e principalmente aos compressores, que podem se danificar devido ao retorno de refrigerante líquido aos mesmos.

  1. Adote a manutenção preventiva 

A manutenção preventiva é uma medida inteligente que reduz custos em diferentes frentes, evita quebras e garante o melhor desempenho em sua refrigeração industrial.

Fique atento à troca de óleo dos compressores, filtros do sistema, limpeza dos condensadores e evaporadores, entre outros elementos do seu sistema de refrigeração

São medidas simples que garantem a economia de energia, tão necessária para reduzir seus custos e, assim, conseguir um diferencial competitivo perante sua concorrência.

Gostou deste artigo? Continue nos acompanhando para ter acesso a mais dicas como esta.

Até a próxima!

Publicado por: www.frigocenter.com.br

Economia de energia elétrica

Os gestores são cobrados diariamente pela adoção de medidas que levem à redução de custos, o que permite alcançar uma maior margem de lucro em seus resultados finais.

A energia elétrica representa quase 40% dos custos de produção. Com os custos elevados no preço, a economia de energia torna-se, assim, matéria obrigatória às empresas.

Soluções na refrigeração industrial

A refrigeração industrial atende a diferentes segmentos produtivos. Ao longo dos anos, soluções foram desenvolvias com objetivo de atender essas diferentes demandas e oferecer o melhor desempenho.

Se em um passado recente esses equipamentos já foram considerados um dos grandes vilões do consumo de energia em empresas, hoje o cenário é bem diferente.

Investir em sistemas de refrigeração modernos significa investir em alta tecnologia capaz de produzir economia de energia que beira a casa dos 30%.

Isso é possível graças ao intenso processo de automação pelos quais passaram os equipamentos destinados a esse fim.

Em câmaras frias, por exemplo, a automação é capaz de regular a temperatura ideal,de acordo com o uso do ambiente para manter a temperatura adequada o tempo todo.

A economia é gerada através de válvulas de expansão eletrônicas, compressores de velocidade variável, ventiladores com controles eletrônicos de vazão, entre outras tecnologias.

Além da tecnologia e das características do equipamento, o projeto, a instalação e a manutenção correta fazem toda a diferença do potencial de economia de energia.

Esses aspectos devem ser observados com atenção no momento de adquirir sistemas de refrigeração industrial e devem sempre ser realizados por mão de obra especializada.

Economize energia em sua empresa, reduza seus custos e aumente sua margem de lucro com a adoção de soluções modernas de refrigeração industrial. Seu empreendimento vai se destacar no mercado.

Gostou deste artigo? Continue nos acompanhando para saber mais sobre a refrigeração industrial e como utilizá-los a favor de seu negócio!

Até a próxima!

Publicado por: www.frigocenter.com.br